Linda Casa com vista definitiva com 8 dormitórios sendo 5 suites e 10 vagas de garagem à venda no bairro Acácias em Lagoa Santa Minas Gerais.

Rua das Amendoeiras, 35 - Acácias - Lagoa Santa/MG

cód. CA0042_REALLE / REALLE SOLUÇÕES IMOBILIÁRIAS INTEGRADAS Creci 3883

Código de origem: RB7121

5700 m² total
8 quartos (5 suítes)
11 banheiros
780 m² útil

Descrição

Linda casa em condomínio fechado com a vista definitiva, saída para duas ruas. São 780m² área construída, campo de futebol, academia, 11 banheiros, 5 suítes sendo uma com hidromassagem, 1 quarto para o caseiro separado das duas casas, quarto de máquina, quarto de jardineiro, escritório, piscina, espaço gourmet. Viveiro de pássaros, galinheiro, canil tudo separado. - Curiosidades sobre Lagoa Santa: Lagoa Santa é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A cidade encontra-se a 800 metros de altitude, possui 229,4 km² de área. No censo 2010 apresenta uma população de 52.520 habitantes (IBGE/2010) com estimativas de 63.359 habitantes para 2018 (IBGE). Está localizada a 35 km de Belo Horizonte, 776 km de Brasília, 553 km do Rio de Janeiro e 641 km de São Paulo. É uma região calcária situada na Bacia Média do Rio das Velhas. A região é formada por Planaltos com relevos pouco acentuados, clima tropical e temperatura média anual de 22º. Lagoa Santa chama atenção por se situar em uma região de relevo cárstico, apresentando notório patrimônio natural, arqueológico, paleontológico, espeleológico, histórico e cultural. As descobertas e pesquisas científicas empreendidas na região desde o séc. XIX elevaram a cidade à nível internacional, constituindo uma área de grande importância científica. Os trabalhos aqui realizados contribuíram para diversos ramos do conhecimento, com estudos de relevância nas áreas de arqueologia, paleontologia, antropologia, espeleologia, botânica, ecologia etc. Patrimônio Arqueológico – Primeiras Ocupações Humanas A região de Lagoa Santa se destaca em função do seu rico patrimônio arqueológico e paleontológico, contando com mais de 180 anos de pesquisas, e registros de ocupações humanas que remontam a 11.500 anos atrás. São diversos os vestígios e achados arqueológicos na região, que teve seus primeiros estudos realizados pelo dinamarquês Peter Wilhelm Lund no século XIX. PETER WILHELM LUND Peter Wilhelm Lund ( Fotografia de Eugene Warming) (Imagem: Lund) Nascido em Copenhague o naturalista Peter Wilhelm Lund chegou ao Brasil pela primeira vez, em 1825. Durante sua primeira estadia, que durou até 1829, ele se dedicou a coleta e estudo de espécimes de formigas, moluscos e urubus nos arredores da cidade do Rio de Janeiro. Após passar quatro anos na Europa, mostrando a seus pares o resultado de suas pesquisas nos trópicos, Lund retornou ao Brasil. Entretanto, na segunda visita, ele não se alojou no litoral, mas sim no interior do Estado de Minas Gerais, na região de Lagoa Santa. Dr Lund também conhecido como pai da paleontologia brasileira residiu em Lagoa Santa por 44 anos, onde desenvolveu uma série de estudos, tendo visitado diversas grutas e reunido um expressivo acervo de achados paleontológicos. Suas pesquisas na região deram e ainda dão visibilidade ao município em escala internacional, principalmente pela quantidade e significância desse acervo. Entre os achados de maior destaque do dinamarquês estão diversas espécies da Antiga Fauna da Região (Megafauna), como o Tigre Dentes de Sabre e a Preguiça Gigante; e ossadas humanas do “Homem de Lagoa Santa”. Peter Wilhelm Lund na Lapa Vermelha (Arte de Peter Andreas Brandt) (Imagem: Lapa Vermelha) Lund estava acompanhado do norueguês Peter Andreas Brandt, um exímio artista, que além de registrar as escavações e achados operados pelo dinamarquês, deixou também um belo registro das paisagens da região de Lagoa Santa no séc. XIX. Após a morte de Brandt, a convite do próprio Lund o Botânico Eugene Warming vem para região, residindo aqui por 3 anos (entre 1863 e 1866) e desenvolvendo estudos pioneiros sobre as espécies do cerrado da região, que tanto chamaram a atenção de Lund. Além de Warming diversos outros estudiosos e naturalistas passaram pela região no Século XIX, como Burmeister, Richard Burton, Agassiz, Riedel, dentre outros. Os estudos de Lund foram pioneiros e sem dúvida contribuíram de forma significativa para diversas áreas do conhecimento, como a Paleontologia, Espeleologia, Arqueologia e Antropologia. Suas pesquisas e análises também foram de enorme importância para a Teoria de Evolução das Espécies, publicada em 1859 por Charles Darwin. Lund realmente criou um vínculo com a região, com uma contribuição foi além da esfera científica, exemplo disso é a criação do primeiro Grupo Musical da cidade, a Banda Santa Cecília em 1842. Ele também demonstrou a vontade de ser sepultado em Lagoa Santa, adquirindo um terreno afastado do centro da cidade, local onde o mesmo costumava fazer suas leituras a sombra de um pequizeiro. Quando seu companheiro Peter Andreas Brandt falece, é enterrado nesse local, assim como outros colaboradores de Lund, como Wilhelm Behrens e Johann Rudolph Muller. Lund permanece em Lagoa Santa até sua morte em 1880, sendo sepultado no mesmo local que seus colaboradores. Hoje o lugar de descanso de Lund o “Cemitério Dr. Lund” é um atrativo de turístico, e ainda conserva o pequizeiro onde sob a sombra fazia suas leituras. O pesquisador deixou diversas influências e contribuições na cidade, tornando a mesma reconhecida a nível internacional. Sua intensa relação de admiração e identificação com Lagoa Santa se resume na frase do próprio dinamarquês: “Aqui sim é um bom lugar para se viver”. Seguindo o Caminho de Lund… Na primeira metade do século XX, várias pesquisas foram desenvolvidas na região com o objetivo de elucidar a questão aventada por Lund acerca da contemporaneidade do homem com megafauna. 1909 Cássio H. Lannari, amador, escava na gruta de cerca grande, ele era proprietário da Fazenda Mocambo, onde localiza a Gruta de Cerca Grande. Em 1926 Padberg Drenkpol e Bastos D`Àvila , dirigiu expedições do Museu Nacional na Região, não encontraram dados para comprovar a contemporaneidade. Os seus relatórios não foram publicados. A missão Americano-Brasileira em 1956 a liderada por Wesley Hurt empreendeu pesquisas nos sítios arqueológicos de Cerca Grande e Lapa de Boleiras na região arqueológica de Lagoa Santa, encontraram vários esqueletos que forneceram uma data para as ocupações mais antigas na região em torno de 10 mil anos (Hurt & Blasi,1969). Outras pesquisas foram realizadas pela Academia de Ciências de Minas Gerais, onde Harold Walter, Arnaldo Cathoud e Anibal Matos escavaram várias grutas e abrigos desde 1933, reunindo uma significativa coleção de ossos e publicando sobre seus achados até 1970. No início da década de 1970 ocorreram, na região, pesquisas da missão franco-brasileira, coordenada pela arqueóloga francesa Annette Laming Emperaire, e com a participação de diversos arqueólogos, brasileiros e franceses. As pesquisas e escavações feitas por essa missão foram realizadas na Lapa Vermelha IV, e renderam um dos achados de maior destaque na região, um crânio humano que posteriormente seria conhecido na mídia como Luzia. Foram estudos realizados por Walter Neves, do Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos da USP/SP, que analisaram características importantes das populações antigas de Lagoa Santa, apontando uma semelhança na morfologia craniana com grupos africanos e aborígenes australianos. Através desses estudos Walter Neves batizou o crânio encontrado pela missão franco-brasileira na década de 70, com datações de 11.500 anos, de “Luzia”, sendo esse um dos fósseis humanos mais antigos a serem encontrados na América do Sul. Segundo os indícios, as populações dessa primeira ocupação se caracterizavam como caçadores/coletores, apresentando uma dieta a base da coleta de frutas/vegetais e da caça. Posteriormente as primeiras levas humanas foram absorvidas e/ou dizimadas com a chegada de novos grupos à região. Esses grupos desenvolveram as indústrias líticas e cerâmicas, além da prática da arte rupestre. Diversas são as evidências dessas manifestações culturais na região arqueológica de Lagoa Santa, presentes em vários sítios arqueológicos, destacando-se entre eles; Lapa Vermelha IV, Cerca Grande e Gruta do Sumidouro. Entre 2001 e 2009, mais pesquisas foram desenvolvidas na região, através do “Projeto Origens e Microevolução do Homem na América: Uma Abordagem Paleoantropológica", realizadas pelo Laboratório de Estudos Evolutivos da USP, sob coordenação do Prof. Walter Neves. Esse projeto contemplou a escavação dos Sítios arqueológicos da Lapa das Boleiras, e Lapa do Santo ambos na região arqueológica de Lagoa Santa. Em 2011 dando sequência a esses estudos, mais pesquisas foram realizadas através do projeto “Morte e vida na Lapa do Santo: uma biografia arqueológica do povo de Luzia”, coordenado pelos pesquisadores André Strauss, do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE/USP), e Rodrigo de Oliveira, do Instituto de Biociências(USP). Essas pesquisas estão com foco na saúde e nas práticas funerárias desses antigos grupos. Os estudos já renderam diversos achados de destaque, com sepultamentos que chegam a cerca de 10.000 anos atrás, incluindo o caso mais antigo de decapitação humana encontrado até hoje nas Américas. Escavações na Lapa do Santo (Imagem: Lapa do Santo1) História – Bandeira de Fernão Dias Paes Leme Mapa da Comarca de Sabará – Autoria de José Joaquim da Rocha, 1777 (Imagem: Mapa 1777) A colonização recente da região de Lagoa Santa se dá ao final do século XVII, associada a chegada da bandeira de Fernão Dias Paes Leme que subiu o Rio das Velhas em busca de metais e pedras preciosas. A Bandeira de Fernão Dias Paes Leme, partiu em julho de 1674 de São Paulo se instalando na região hoje conhecida por Sumidouro, onde chegaram por volta de 1675, desbravando durante 7 anos a região da cabeceira do Rio das Velhas, com rumo ao norte. Essa bandeira protagonizou eventos dramáticos como a execução de José Dias, levado à forca por ordem do pai, Fernão Dias, pela acusação de conspiração, e o assassinato do fidalgo Dom Rodrigo Castel Blanco, elevado pelo Rei D. João I a “administrador-geral das minas que se encontrassem descobertas e por se descobrir”. Dom Rodrigo entrou em confronto com Manuel da Borba Gato que após a morte de Fernão Dias seu sogro, se viu detentor de seus poderes e não estava disposto a se subjugar ao mesmo, visto por ele como um usurpador das conquistas obtidas pela bandeira de Fernão Dias. Origem da Cidade de Lagoa Santa A ocupação da região de Lagoa Santa próxima a Lagoa Central se dá por volta de 1733, quando Felipe Rodrigues se estabelece em seu entorno, erguendo ali um pequeno engenho para produção de aguardente. Foi Felipe Rodrigues o primeiro a citar os poderes curativos da água da Lagoa, relatada ao Frei Antonio de Miranda, de Sabará. Até 1749 não se tem notícias de povoamento ostensivo, o que se altera a partir dessa data com relatos das mais diversas curas operadas pelas águas da Lagoa, registrados por João Cardoso de Miranda, em seu opúsculo “Prodigiosa Lagoa Descuberta nas Congonhas das Minas do Sabará, que tem curado várias pessoas dos achaques que nessa relação se expõe”, de 1749. A fama das curas operadas pelas águas da Lagoa Santa, cruzou o oceano atlântico chegando a capital portuguesa, Lisboa, onde sua comercialização em barris chegou a ocorrer, sendo posteriormente contestada pelo rei, em vista dos prejuízos decorrentes da disputa comercial com as águas de Caldas. A partir de 1749 com a chegada à Lagoa Santa de novos habitantes atraídos pela esperança da cura, decidiu-se erguer uma capela dedicada a Nossa Senhora da Saúde, cuja a provisão foi obtida em 2 de maio de 1749. Em torno de 1750 é chamado para vir à região o ouvidor de Sabará, Manuel Nunes Velho, responsável por demarcar o local para erguimento da capela, e a disposição do arruamento e dos locais para banho, designando para tal Faustino Pereira da Silva como executor de suas decisões. Opúsculo de João Cardoso de Miranda, em 1749 : “Prodigiosa Lagoa Descuberta nas Congonhas das Minas do Sabará, que tem curado várias pessoas dos achaques que nessa relação se expõe” (Imagem: Prodigiosa Lagoa) A freguesia de Nossa Senhora da Saúde de Lagoa Santa foi criada somente em 1823 separando-se então da Freguesia de Santo Antônio da Roça Grande. A construção da igreja matriz de Nossa Senhora da Saúde se dá em 1819, sendo que a criação do distrito se dá em 1891, inicialmente ligado ao município de Sabará e que posteriormente, a partir da Lei Estadual n.843 de 1923 passaria a subordinar-se a Santa Luzia do Rio das Velhas, atual cidade de Santa Luzia. A elevação de Lagoa Santa à categoria de cidade se dá através Decreto-Lei n.148, de 17 de dezembro de 1938, considerando apenas o distrito da cidade, sendo que através da Lei n.1039, de 12 de dezembro de 1953, incorporavam-se ao município os distritos de Lapinha e Confins. Em 1995 através da Lei estadual nº 12030, se desmembra do município o distrito de Confins, que se eleva a categoria de município. Segundo divisão territorial datada em 1995 o município se constitui em dois distritos: Lagoa Santa e Lapinha, tendo em 1996 a criação do distrito de Lagoinha de Fora pela lei nº 1334. Sendo assim, na última divisão territorial realizada em 2003, o município se compõe em três distritos: Lapinha, Lagoa Santa e Lagoinha de Fora. A cidade ainda conserva suas antigas tradições como a Festa da Padroeira N. Sra. da Saúde em 15 de Agosto; Nossa Sra. da Conceição em 8 de Dezembro e no mês de Outubro, as festas congas d e N. Sra. do Rosário. O município possui duas bandas de música, sendo a mais antiga, a Banda Santa Cecília, que foi fundada por Peter Lund, em 1842. Além disso possui também a presença de diversos grupos de Congado e Folia de Reis. Revolução de 1842 Em meados de 1842 a região de Lagoa Santa foi palco de combates da Revolução Liberal. Nos dias de 4 e 5 de Agosto de 1842, no arraial de Lagoa Santa, a força insurgente liberal, resistiu tenazmente ao ataque dos legalistas que, apesar da vantagem numérica e de equipamentos, viram seu comandante Coronel Pacheco ser ferido ao início da batalha. Registros ainda revelam o movimento na cidade de Lagoa Santa “(…)a população apoiava abertamente os rebeldes, ajudando a distribuição de munição, durante as pelejas(…)”. Após o ocorrido, em 6 de Agosto, o destacamento que tinha resistido tão bravamente no Arraial de Lagoa Santa se viu obrigado a se dispersar, em função da falta de provisões e reforços. Posteriormente, em 20 de agosto, após a derrota dos liberais na batalha de Santa Luzia, parte das tropas insurgentes se retiram tomando o caminho de Lagoa Santa, o que mostra o engajamento da população na causa liberal. A batalha na região do município se deu a partir dos subúrbios, quintais e, notadamente, na Mata das Jangadas, então nas proximidades da Lagoa Central. Atualmente esse topônimo caiu no esquecimento, assim como não há, em virtude do crescimento ocorrido no século XIX, XX e XXI e da ocupação das margens da Lagoa Central, a Mata da Jangada. A reminiscência que ainda se mantém dessa mata que foi palco da valentia e empedernida resistência das falanges liberais em 1842 é o pequeno espaço arborizado contíguo à Lagoa, denominado de “Horto”, ainda que sua vegetação atual não seja remanescente da antiga Mata, sendo fruto de plantio posterior, já no século XX. Nesse sentido, a recuperação e valorização desse espaço geográfico situado na região central da cidade como um marco importante da história de Lagoa Santa e, também, da Revolução Liberal de 1842, é de suma importância, seja do ponto de vista histórico ou turístico. LAGOA SANTA: UMA CIDADE CHEIA DE HISTÓRIAS PARA CONTAR A busca pela qualidade de vida faz muita gente repensar a vida nas grandes metrópoles nos dias atuais. Colocando os prós e os contras na balança, muitos chegam à conclusão que é hora de mudar de cidade, em busca de uma rotina mais sossegada. Aí entram as regiões metropolitanas, que reúnem um conjunto de municípios com integração socioeconômica a uma cidade de grande porte. Um exemplo é Lagoa Santa, situada na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). Com boa parte de sua área inserida em uma Área de Preservação Ambiental (APA), a cidade é uma excelente opção de moradia até mesmo para quem trabalha ou estuda na capital mineira. Além de belezas naturais e da boa localização, a cerca de 40 quilômetros de BH, Lagoa Santa reserva outros atrativos para seus moradores e visitantes. Se você mora ou pensa em morar no município, saiba que os locais abaixo são paradas obrigatórias! Museu Arqueológico Além da beleza natural, Lagoa Santa se destaca por sua riqueza cultural e histórica. A cidade tem um acervo arqueológico repleto de achados fósseis, que ajudaram a construir a história de civilizações antigas. Nele está, por exemplo, o esqueleto humano mais antigo das Américas, que foi encontrado na região. No museu arqueológico da cidade existem diversos exemplares de animais em extinção, além de fósseis humanos com mais de dez mil anos de existência. Ótimo local para conhecer mais sobre as civilizações antigas. Gruta da Lapinha Pertencente ao Parque Estadual do Sumidouro, a Gruta da Lapinha é patrimônio natural e cultural de Lagoa Santa e uma das sete maravilhas da Estrada Real, eleita por votação popular em 2012. O local abriga 16 salões com formações rochosas datadas de 600 milhões de anos, sendo que 12 são abertos para visitação. O passeio, acompanhado por guias especializados, fica ainda mais interessante com a iluminação em LED no interior da gruta, que torna ainda mais bonitos os desenhos das rochas. Lagoa Central Você sabia que o nome “Lagoa Santa”, foi dado por causa de uma crença local de que as águas da lagoa central tinham propriedades de cura? Hoje, essa é o principal cartão postal da cidade. Na orla, os moradores e visitantes praticam corrida e caminhada, se exercitam nos aparelhos de ginástica ao ar livre e aproveitam os restaurantes e bares do entorno. Frequentemente também são promovidos eventos culturais e competições esportivas na orla, entre eles a Virada Cultural de Belo Horizonte. Na última edição do evento, em 2016, Lagoa Santa recebeu várias atrações da programação. Parque Aeronáutico Com 62 anos de história, o Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa (PAMA – LS) presta serviços de fabricação, inspeção, manutenção e reparação de diversas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB). Lá também são oferecidas oficinas na área de aviação e visitas técnicas, mediante agendamento. A FAB também promove festividades abertas ao público, principalmente em datas comemorativas como o Dia da Força Aérea (22 de abril) e Dia do Aviador (23 de outubro). Casa para Venda em região valorizada do bairro Acácias, em Lagoa Santa. Não encontrou o que procurava ou deseja mais informações sobre Casa em Lagoa Santa? Entre em contato com nossa equipe pelo telefone (31) 3418-3090. A REALLE SOLUÇÕES IMOBILIÁRIAS INTEGRADAS tem mais opções de apartamentos, casas residenciais e comerciais, sobrados, terrenos, lojas e barracões para venda ou locação, além de empreendimentos em construção ou lançamentos na planta em Acácias e em outras regiões de Lagoa Santa. Aqui você encontra milhares de ofertas para encontrar o imóvel que mais combina com seu estilo de vida. Negocie seu imóvel de forma totalmente online, com segurança e tranquilidade. Na REALLE SOLUÇÕES IMOBILIÁRIAS INTEGRADAS você consegue comprar ou alugar um imóvel em Lagoa Santa mesmo não estando na cidade e com a praticidade de fazer tudo online, direto do seu computador ou smartphone. Nós criamos soluções inovadoras para simplificar a relação de proprietários, inquilinos e compradores com o mercado imobiliário. Anuncie seu imóvel! É fácil, rápido e gratuito! A REALLE SOLUÇÕES IMOBILIÁRIAS INTEGRADAS é uma imobiliária digital com imóveis em diversas cidades do Brasil, incluindo Lagoa Santa. Na REALLE SOLUÇÕES IMOBILIÁRIAS INTEGRADAS você consegue vender ou alugar seu imóvel muito mais rápido do que em imobiliárias tradicionais. Já vendemos e locamos diversos imóveis em Lagoa Santa, especialmente em Acácias. Isso porque temos uma equipe de marketing digital focada em produzir campanhas específicas para Lagoa Santa, o que aumenta muito o número de contatos interessados e tendo como consequência uma maior chance de vender ou alugar seu imóvel mais rápido. Contamos também com um time de programadores, corretores treinados e uma central de atendimento preparada para atender proprietários e inquilinos.

Ver mais

Comodidades

  • Área de serviço
  • Armário Embutido
  • Despensa
  • Copa
  • Hidromassagem
  • Interfone
  • Jardim
  • Piscina
  • Sala de Jantar
  • WC Empregada
  • Campo De Futebol
  • Canil
  • Academia
  • Churrasqueira
  • Cozinha
  • Sala
  • Guarita Com Segurança
  • Aquecimento Eletrico
  • Portaria 24h
  • Gourmet

Veja outros imóveis em Acácias e região

VendaR$ 6.990.000

CondomínioR$ 900

21 pessoas estão olhando este imóvel
Salvar
Compartilhar